29/01/2016

Gramado Dia 02: Museus


18/12/2015
Querido Diário,

Acordei mega cansada hoje e quase não saí da cama. Aparentemente, essa viagem conseguiu me cansar mais do que quando fui para a Disney, o que é muito estranho. Tomamos nosso primeiro café da manhã no hotel. Não tinha nada extremamente gostoso, mas foi melhor do que o Disney onde só tinha pão e geleia.

A programação do dia de hoje contava com os museus da cidade, mas antes fizemos uma parada na loja da Caracol. Ela era enorme e tinha vários chocolates com diferentes tamanhos e formatos. Fiz a festa é claro!


Depois fomos ao museu Super Carros. Tinha vários modelos expostos e se pagasse dava para dirigi-los. O preços eram caros, mas se comparado com os preços do carro estava de graça! No andar superior tinha umas lojas e quem for, sugiro que fique de olho. Minha mãe comprou quatro lembrancinhas e a atendente separou em quatro sacolas porém uma delas veio vazia e nós pagamos pelo objeto! Infelizmente, quando vimos o erro já era tarde demais. Lá também tem alguns jogos, tipo aqueles de parque de diversão (derrubar a lata, acertar o alvo...) e um cinema 9D que é muito legal, mas o ingresso do local não cobre, então é pago separadamente.

Depois fomos almoçar em um local próximo chamado Aquece. Só tem duas opções de prato (arroz, feijão, salada de alface e tomate, batata frita, frango ou carne). Não é um local caro e a comida é boa!


Pegamos o carro e fomos ao museu de Cera. Vários famosos legais para tirar foto como: Justin Bieber, Indiana Jones, Tom Cruise, Brad Pitt, Harry Potter, Dobby... O ruim é que tem determinados artistas que você não pode tirar foto com a sua câmera só o fotografo do local pode, e ele cobra! Outra coisa ruim é que em alguns corredores são muito apertados então é horrível conseguir um ângulo bom.

Ao terminar a visita, pegamos o elevador e descemos até o museu das Motos. O local é como um bar, mas tem motos espalhadas pelo salão. Se pagar, dá para tirar foto em cima delas. Não ficamos muito tempo nesse museu. Preferimos voltar para o hotel descansar um pouco para irmos na cidade jantar.

Comemos no restaurante italiano Pastasciutta. Lá os pratos são para duas pessoas, mas sobrou muita comida e é bem caro lá (cerca de 100 reais o prato). A comida é gostosa, mas só vale a pena ir lá se você estiver morto de fome porque os pratos são enormes!

22/01/2016

Resenha: A Rainha Vermelha



Autor(a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 414
Ano: 2015
Classificação: ✰✰✰✰

Mare Barrow vive em um mundo distópico dividido pela cor do sangue. Os que possuem sangue vermelho estão acostumados a trabalhar para sustentar a elite e a guerra que ela mantém contra os reinos vizinhos. Os que possuem sangue prateado possuem poderes e isso garante a posição na elite do país.

Mare tem sangue vermelho e vive em uma área muito pobre chamada Palafitas. Como ela rouba para ajudar a família, e isso não é considerado uma profissão, quando ela completar 18 anos será enviada para o exército e logo morrerá.

Em uma noite de roubo, Mare encontra um misterioso rapaz que lhe consegue um emprego como criada no palácio de verão do rei. Logo no primeiro dia de trabalho, Mare sofre um acidente e é salva por poderes que ela nunca imaginou ter. Como esses poderes vem à tona na frente de muitos, o rei a obriga a se passar por uma herdeira perdida de um antigo general e ela é obrigada a viver com quem ela sempre odiou.

"Todo mundo pode trair todo mundo"

No meio de tudo isso, se desenrola a história criada por Victoria Aveyard. O início do livro é bem lento e possui muitos nomes, pois dependendo do poder a pessoa é nomeada de uma forma, e isso atrasou muito a minha leitura. Porém, não me arrependi de ter continuado o livro. Ele trouxe um final surpreendente que me deixou boquiaberta!

Além disso, o livro também é parecido com algumas séries conhecidas como Jogos Vorazes e A Seleção, então se algum desses livros está entre seus queridinhos, a chance de gostar dele é ainda maior!

15/01/2016

Gramado Dia 01: Magia do Natal


17/12/2015
Querido Diário,

Estou aqui para contar sobre mais um viagem que tive o prazer de realizar ao lado da minha família. Como o dólar está em alta, optamos por um destino aqui no Brasil mesmo: Rio Grande do Sul. A cidade escolhida foi Gramado.

Meu dia começou cedo, saímos de casa umas 8 horas da manhã. Pedimos um táxi grande no aplicativo Easy Táxi, mas o carro que veio não era tão grande assim. Uma das malas precisou ficar no colo da minha mãe e o motorista ainda nos cobrou por ela! Uma grande injustiça!

Conseguimos despachar as malas e pegar o voucher para podermos embarcar no avião. Havíamos planejado tudo para sobrar um tempinho para comer, já que iríamos de Gol e eles não costumam servir nada a não ser que se pague, mas acabou não dando tempo. 

Entramos no avião e a viagem foi tranquila e rápida. Apesar dos rumores, a Gol nos serviu um biscoitinho muito gostoso e um copo de água de cortesia. Os preços da comida não eram muito caros, mas preferi não comer nada. Próximo de pousar no aeroporto, vivemos nossa primeira aventura. O avião teve que arremeter para evitar um choque com outro avião.

Chegando em Porto Alegre, encontramos o guia da CVC e seguimos para o hotel de ônibus. A distância entre as duas cidades é de aproximadamente 3 horas! Foi uma viagem super cansativa. Como não sabíamos que seria tantas horas até chegarmos no hotel, ficamos cheios de fome e o pior de tudo era lembrar que teríamos que passar por tudo isso de novo quando fossemos voltar para casa.


Quando chegamos no hotel Laghetto Toscana, deixamos as malas nos quartos e fomos para o restaurante do próprio hotel para lanchar. Pedi um misto quente com batata fria que não estava nada demais. Minha única reclamação foi que o misto veio sem queijo, mas estava com fome demais para mandar voltar e eles demoram muito para preparar.

Descansamos um pouco e saímos para nosso primeiro passeio. Fomos a pé para a cidade e assistimos o espetáculo de acendimento das luzes da cidade. Na varanda de um prédio temático, alguns atores fazem um pequeno show e as luzes acendem. Particularmente, achei o show bem bobinho, mas quem é criança irá adorar! Mas tirando o show, foi bem legal pois a cidade fica linda à noite!


Para jantar, escolhemos a Cantina Tagliarini que fica bem próximo ao local. Lá é rodízio de grelhados e massas, mas não gostei da variedade de massas e nem do sabor delas! Porém o sorvete de creme com morango flambado é uma delícia! 

Depois disso, voltamos para o hotel para uma merecida noite de sono.

13/01/2016

Sobre Shadowhunters


Após o fracasso do filme, a série de livros Instrumentos Mortais escrito por Cassandra Clare ganhou mais uma chance, agora em forma de série! Estou acompanhando a gravação há um bom tempo e já falei algumas vezes dela aqui no blog, mas agora a hora finalmente chegou. Saiu o primeiro episódio!

Até o momento da publicação desse post, já assisti esse episódio cinco vezes e pretendo assistir mais sim! Não vou dizer que o episódio foi perfeito porque nunca é. A série não será muito fiel aos livros e isso já é um ponto a menos para os fãs que amam ver tudo do jeito que sempre imaginaram. 

O episódio é muito rápido. São muitas informações e não sei como isso pode impactar em quem não conhece a história, pois é muita coisa para digerir. Mas, eu adorei a interpretação da maior parte dos atores e consegui ver sim os personagens que tanto amo.

Muita gente reclamou dos efeitos especiais. Eles realmente não estão dignos de Oscar, mas precisamos levar em consideração que a série está em lançamento e com certeza não recebeu tanto investimento assim, afinal, eles não sabem se dará certo ou não!

Quem quiser pode assistir a série no Netflix, que comprou os direitos autorais. Toda semana será adicionado um episódio novo e o melhor de tudo é que podemos assistir quantas vezes quisermos!
Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz