15/04/2016

Resenha: Por Lugares Incríveis


Autor(a): Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Páginas: 335
Ano: 2015
Classificação: ✰✰✰✰

Estava para ler esse livro desde o evento da Seguinte do ano passado! Graças a Bienal, consegui comprá-lo bem em conta.

O livro conta a história de Finch, um menino problemático, e Violet, que perdeu a irmã em um trágico acidente; e a narração intercala entre eles. O livro começa no parapeito da torre do sino do colégio onde Finch pretendia pular. Antes que ele o faça, vê que Violet está prestes a fazer o mesmo. Ele a convence a não pular e tira os dois do parapeito em segurança, porém, a história que corre pela escola é que ela o salvou.

No livro podemos ver um lugar maravilhoso e cheio de riqueza chamado Indiana, Estados Unidos. A autora faz parecer que lá é o mundo ideal para viver. Cheio de pessoas boas que fazem as coisas sem se preocupar com o que vão receber em troca. Não sei se é realmente assim, mas se for, eu quero morar lá! 

Porém, ela também trata de um tema muito importante: o suicídio. Podemos ver através dos olhos dos personagens como é ter depressão. O que a pessoa sente, pensa, age e como quase ninguém ao redor percebe. Muita gente pensa que isso é palhaçada, que a pessoa só quer chamar a atenção, mas não é. Depressão é algo sério e que pode levar - e leva - alguém a cometer suicídio!

Nos agradecimentos a autora diz: "Eu queria escrever algo duro, difícil, triste, mas divertido." e ela conseguiu porque o livro é exatamente isso. Ele aborda um assunto delicado, mas não deixa de ser um ótimo livro. Cheio de ensinamentos e assuntos a se pensar. Recomendo a todos.

11/04/2016

Evento Intrínseca


Esse final de semana aconteceu o evento de uma das editoras que mais gosto. O evento dessa vez ocorreu no cinema do shopping Iguatemi no Rio de Janeiro. Como sempre acontece, ganhamos brindes (marcadores, cards, caneta, bótons e o pin da 5ª edição do evento) e conhecemos alguns dos lançamentos previstos. Tive a sorte de ganhar o livro Guerra dos Consoles no sorteio \o/

Abaixo você poderá ver a sinopse dos livros que mais me chamaram a atenção: 

Eu sou o Peregrino

Uma mulher é brutalmente assassinada em um hotel decadente de Manhattan, seus traços dissolvidos em ácido. Um pai é decapitado em praça pública sob o sol escaldante da Arábia Saudita. Na Síria, um especialista em biotecnologia tem os olhos arrancados ainda vivo. Restos humanos ardem em brasas na cordilheira Hindu Kush, no Afeganistão. Uma conspiração perfeita, arquitetada para cometer um crime terrível contra a humanidade, e apenas uma pessoa é capaz de descobrir o ponto exato em que todas essas histórias se cruzam.




Alucinadamente Feliz

Jenny Lawson está longe de ser uma pessoa comum. Ela mesma se considera colecionadora de transtornos mentais, já que é uma depressiva altamente funcional com transtorno de ansiedade grave, depressão clínica moderada, distúrbio de automutilação brando, transtorno de personalidade esquiva e um ocasional transtorno de despersonalização, além de tricotilomania (que é a compulsão de arrancar os cabelos). Por essa perspectiva, sua vida pode parecer um fardo insustentável. Mas não é. 

Após receber a notícia da morte prematura de mais um amigo, Jenny decide não se deixar levar pela depressão e revidar com intensidade, lutando para ser alucinadamente feliz. 

Baía da Esperança

Seis anos depois de ter saído da Inglaterra, a melancólica e reservada Liza McCullen é responsável por um barco de observação de baleias e golfinhos em Silver Bay, na Austrália, onde também administra com a tia, Kathleen, o Hotel Baía da Esperança, que já viu dias melhores.

Hospedado no hotel de Liza, Mike Dormer está lá a negócios: depende dele o pontapé inicial do projeto de um resort de luxo. Enquanto sua noiva, em Londres, finaliza os planos do casamento, Mike tem de conseguir a licença para a construção do empreendimento, algo que terá profundo impacto na fauna de Silver Bay e consequências drásticas para a vida dos moradores, inclusive a de Liza, que guarda um grande segredo e correrá perigo caso precise se mudar dali.

S.

Um livro. Dois leitores.

Uma jovem encontra numa biblioteca um livro com anotações de um estranho. As margens repletas de observações revelam um leitor inebriado pela história e pelo misterioso autor da obra. Ela responde os comentários e devolve o livro, que o estranho volta a pegar. Ele é Eric, ela é Jennifer, e o inesperado diálogo dos dois os faz mergulhar no desconhecido. É esse velho exemplar típico de biblioteca - consultado, anotado, manuseado - intitulado O Navio de Teseu, de V. M. Straka, que o leitor encontrará dentro da caixa preta e selada de S.

Simon vs. a Agenda Homo Sapiens

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Ele só não contava que Martin, o bobão da escola, iria chantageá-lo ao descobrir sua troca de e-mails com Blue, pseudônimo de um garoto misterioso que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.





A Febre

Na Escola Secundária de Dryden, Deenie e Lise são amigas inseparáveis. Filha do professor de química e irmã de um popular jogador de hóquei da escola, Deenie irradia a vulnerabilidade de uma típica adolescente de 16 anos. Quando Lise sofre uma inexplicável e violenta convulsão no meio de uma aula, ninguém sabe como reagir.

Os boatos começam a se espalhar na mesma velocidade que outras meninas passam a ter desmaios, convulsões e tiques nervosos, deixando os médicos intrigados e os pais apavorados. Os ataques seriam efeito colateral de uma vacina contra HPV? Teriam a ver com o lago contaminado? Ou seria o início de algo muito pior?

Temporada de Acidentes

Acontece todo ano, na mesma época. Todo mês de outubro, inexplicavelmente, Cara e sua família se tornam vulneráveis a acidentes. Algumas vezes, são apenas cortes e arranhões. Em outras, acontecem coisas horríveis, como quando o pai e o tio dela morreram.A temporada de acidentes é um medo e uma obsessão. Faz parte da vida de Cara desde que ela se entende por gente. E esta promete ser uma das piores.





Espero que tenham gostado dos livros. Deixem nos comentários quais você mais gostou ;)

08/04/2016

Gramado Dia 5, 6, 7: Últimos Dias



23/12/2015
Querido Diário, 

Apesar de não estarmos no Rio de Janeiro, fomos andar de bondinho que nos leva até uma trilha. Não consegui ver nenhum animal, nem reconhecer as plantas, mas é bom estar em contato com natureza. No final da trilha tem o outro bondinho e um espaço das esculturas que falam. Nesse espaço, temos vários animais esculpidos na madeira. Pegamos um pequeno pedaço de madeira e passamos na escultura para fazer o som do animal. 

Pegamos o outro bondinho e subimos mais um pouco para tirar foto com a cachoeira.

Depois fomos ao Mundo A Vapor. Lá tem várias máquinas em miniatura e explicações de como elas funcionam e para que serviam. Também tem a menor fábrica de papel do mundo!


No dia seguinte fomos aproveitar nosso último dia em Gramado no Lago Negro, que é um espaço aberto ótimo para fazer piquenique e andar de pedalinho; Mini Mundo, um parque ao ar livre formado por réplicas de vários locais; e Museu do Chocolate, um museu com esculturas feitas de chocolate.


O dia 23 foi o dia de ir embora. Pegar a longa estrada até o aeroporto e voltar para o Rio de Janeiro. A viagem não foi tão boa, assim como a da ida. Pegamos o avião da companhia Gol, onde comprei um sanduíche delicioso da empresa, e quando aterrissamos tivemos que esperar um bom tempo pelas malas. Quando elas chegaram, descobrimos o porquê da demora: algumas malas foram violadas! A minha felizmente não estava entre elas, mas a dos meus tios estava. Um completo absurdo!

06/04/2016

5 coisas que marcaram o colégio


É normal compararmos a faculdade com a escola. Passamos a maior parte de nossas vidas vendo os mesmos corredores e mesas. Funcionários que até sabem nosso nome de tanto tempo que estudamos lá. Pelo menos, comigo foi assim. Estudei toda a minha vida no mesmo local. Sempre vendo os mesmos professores e amigos. Ao entrar na faculdade vemos as coisas mudarem. Às vezes, drasticamente. O método de ensino é diferente e as pessoas não tem mais tão a ver com você. É preciso começar novas amizades e as panelinhas que se formavam quando tinha trabalho em grupo, não existem mais. É necessário procurar uma nova.

Nunca fui boa em fazer amizades. Sou tímida e se a pessoa não vier falar comigo, não vou até ela, e é horrível não ter alguém para te ajudar quando tudo muda. Afinal, muitos amigos escolhem carreiras diferentes e aquela pessoa que sempre te apoiou, não está lá.

Pensando nisso, resolvi fazer um top 5 de coisas que me marcaram na escola:

Primeiro dia de aula

Isso não é uma exclusividade da escola, mas é algo que marca bastante. Toda aquela expectativa e saudade dos amigos. Existem primeiros dias que lembro até hoje.

04/04/2016

Cinemas de Abril


Mês passado teve DC nos cinemas, nesse, terá Marvel. Não estou muito ansiosa para Guerra Civil porque não gostei muito da história, mas não vou julgar sem assistir. Posso ser surpreendida. #TeamIronMan

Invasão a Londres | 7 de Abril de 2016 | Ação;



Decisão de Risco | 7 de Abril de 2016 | Suspense;


Mente Criminosa | 14 de Abril de 2016 | Suspense;


O Caçador e a Rainha do Gelo | 21 de Abril de 2016 | Ação; Aventura; Fantasia;


Capitão América: Guerra Civil | 28 de Abril de 2016 | Ação;


Não se esqueça de me contar aqui nos comentários qual filme você mais quer assistir. E de qual Team você é? Capitão América ou Homem de Ferro?

01/04/2016

Resenha: Como Ser uma Parisiense em Qualquer Lugar do Mundo


Autor(a): Sophia Mas; Audrey Diwan; Caroline de Maigret; Anne Berest;
Editora: Fontanar
Páginas: 262
Ano: 2014
Classificação: ✰✰✰✰

Sou apaixonada por Paris desde sempre, por isso quando vi a proposta desse livro fiquei louca para ler, pois, além de aprender a ser uma, poderia também entender melhor a cabeça delas. Doideira? Talvez. Já deixo registrado que não apoio que ninguém mude quem é para se encaixar em algum lugar ou agradar alguém, principalmente se for para mudar algo que você não considera bom para si. Ironicamente, é mais ou menos sobre isso que o livro fala.

O livro começa com várias regrinhas estúpidas, como "Escolha algo que todos amam: filhotes de gato, morango... e deteste-o." para logo em seguida falar de diversas parisienses famosas e o que elas fizeram para serem conhecidas, e logo percebemos que o que fez elas chegarem aonde chegaram foi que elas mudaram as regras, porque ser parisiense é isso mesmo: fazer suas próprias regras. É tudo bem doido e contraditório.
“Quando trabalhamos para agradar os outros, não é possível ter sucesso, mas quando fazemos as coisas para satisfazer a nós mesmos, podemos acabar atraindo o interesse de alguém.” — MARCEL PROUST, PASTICHES ET MÉLANGES
Além de dicas sem sentido também tem várias receitas que quero muito ver se são boas. Se minha preguiça ficar de lado, eu conto o que achei lá no twitter.

Por ser um livro doido, acaba sendo bem divertido. É ótimo para quem quer ler algo para relaxar a mente, mas ele também deu uma leve destruída na imagem das parisienses. Em certos momentos o livro mostra que elas são livres e independentes. Não gostam de ser controladas e adoram surpreender a todos, mas em outros, ela parece ser egoísta e insensível. Acho que essa divergência se deve ao fato de serem quatro autoras diferentes que tem pontos de vista diferentes. O que é bom para mostrar que nem todas são iguais.

Caso esteja interessado eu sugiro que não crie muitas expectativas. O livro é bom, mas não é a solução dos problemas. Ele não te deixará boquiaberta com a qualidade, mas é ótimo para entreter e aliviar a tensão do dia a dia.

Não esqueça de deixar seu comentário e compartilhar com a amiga que ama Paris :P
Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz